Alunos da UniFCV produzem cartazes temáticos
a
TWITTER
b
FACEBOOK
x
INSTAGRAM
r
YOUTUBE

 

Alunos da UniFCV produzem cartazes temáticos

19/07/2020


Alunos da UniFCV produzem cartazes temáticos


A humanidade já percorreu um longo caminho desde a sua origem até nosso momento atual. Ideias e concepções que antes eram aceitas e pregadas por todos tornaram-se ultrapassadas e, por vezes, até mesmo derrubadas com base em estudos mais elaborados. Contudo, infelizmente, a ainda presenciamos certas demonstrações de intolerância, com atitudes dignas das épocas mais obscuras da raça humana, por mais que tenhamos evoluído muito na questão do amor e aceitação do próximo, ainda é comum ver atitudes desprezíveis ao nosso redor, a melhor forma de combater tudo isso é com o ensino, diálogo e escuta.

Ao abordar assuntos como racismo, homofobia e intolerância religiosa em sala de aula, o professor da UniFCV, Saulo Henrique, teve a ideia de propor um trabalho diferente, onde os alunos teriam que produzir uma série de imagens reforçando a mensagens de tolerância e compaixão: “Nesse semestre trabalhei com metodologia ativa na disciplina de ciências sociais, com os cursos de Gestão Comercial, Gestão de Recursos Humanos, Gestão de Produção Industrial, Análise de Sistemas e Design Gráfico, e como trabalho da disciplina no final, eu pedi que eles criassem um cartaz sobre os temas trabalhamos ao longo do semestre, esses projetos tiveram temas como racismo, homofobia, alienação cultural e política e intolerância religiosa”, afirma o professor.

Os cartazes apresentam uma comunicação clara e com mensagens claras e diretas, com o objetivo de levar todos nós a um momento de reflexão, a parar e pensar um pouco sobre nossos comportamentos e como eles afetam a sociedade e pessoas ao nosso redor. “Eles tiveram que criar um cartaz informativo, mas que não tivessem muitas palavras e com identidade visual boa, para que quando alguém visse aquilo levasse a uma espécie de observação de si, e foi muito legal, pois os trabalhos foram ótimos!”, afirma orgulhoso o professor Saulo Henrique.


 

 

Compartilhe com seus amigos:

 

Voltar